Nathalia Soares | Todos direitos reservados © 2018 | Desenvolvido por A Entrega.

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

Se você quer acompanhar de perto todas as novidades, artigos e promoções do Blog, assine nossa Newsletter!

Insira um email válido

Eu, o Rio de Janeiro e meus 21km

30.07.2015

Ano passado, eu resolvi correr uma Meia Maratona (21km), e na mesma época que tomei essa decisão, as inscrições para a Maratona da Cidade do Rio de Janeiro, estavam abertas. O trecho era magnífico e o percurso de 21km era um dos mais comentados pelos corredores.

 

Acabou que essa foi minha terceira meia maratona mas como toda prova, nós colocamos alguns objetivos. Depois dos 21km feitos em Florianópolis em 2h02, decidi que precisava baixar esse tempo e conquistar o famoso “sub2”, que significa completar os 21km em menos de 2 horas.

 

Meu preparo para completar mais essa prova, não teve nada de diferente. Um domingo antes fiz meu último treino de 16km no Circuito Athenas de SP e durante a semana fiz dois treinos curtos e com ritmo confortável.  Ah, eu fiz uma prova de 10 km duas semanas antes e fui surpreendida com meu melhor tempo na distância.

 

De novidade, eu decidi fazer uma massagem desportiva (contarei no próximo post) com a Vaneide. Ela entende bem do assunto e durante a massagem conversamos bastante.

 

Eu e meu marido embarcamos no sábado de manhã para o Rio, na chegada já encontrei com a Pati, que foi minha companheira em toda a jornada, e seguimos para retirar o Kit. Com 26 mil inscritos, é claro que pegamos fila na entrega do kit. Acredito que ficamos 1h30 na fila, o lado bom foi que eu e a Pati colocamos o papo em dia! O clima já era animado e cheio de energia. O Dr. Drauzio Varela estava lá também. Ele fez uma palestra e depois autografou alguns livros.

 

 

 

 

Aproveitei para dar uma volta na feira mas não comprei nada dessa vez. Já no sábado encontrei com alguns amigos de São Paulo e a sensação que eu tinha, que eu estava em casa!  Fomos embora, e aproveitei o resto do dia para almoçar e descansar.

 

 

Como de costume, minha última refeição foi um prato de spaghetti com molho de tomate caprichado e uma fatia de pão integral (caseiro). Depois do jantar, já deixei minhas coisas todas separadas e combinei o horário de saída com a Pati. Ah, já deixei a porção de batata doce cozida para o café da manhã.

 

As 4h20 da manhã, o relógio despertou e nem teve soneca...rsrsrs Já pulei da cama e sai conforme planejado, as 4h45 de casa. Eu fui de taxi até o local dos ônibus da organização. Encontrei com a Pati, e a cidade já estava dominada pelos corredores. Entramos no ônibus e fomos conversando o caminho inteiro. Quase chegando na largada, resolvemos descer e seguir a pé, já que estávamos perto. Do ônibus, gritei para a Fabi (amiga) que estava com o grupo da assessoria dela. Desci do ônibus e aproveitamos para tirar fotos !!! Naquele momento, eu senti dor de barriga (nunca tive isso em nenhuma prova), eu não gosto muito de usar qualquer banheiro público, mas era minha única opção.

Foi um alivio na alma !!!! Confesso !!! Me despedi das meninas e segui com a Pati para largada. Antes disso, a Fabi disse algumas palavras que memorizei para a corrida, acho que precisava ouvir las para entender meu objetivo naquela manhã.

 

 Eu e Pati no busão para a largada - Praia do Pepe

 

Eu e a Pati fomos para a largada e ficamos esperamos dez minutos. Exatamente 6h45, o sinal tocou e começamos a correr. A Pati saiu correndo e eu fui no meu ritmo.

 

Logo no KM 1, já me deparei com o Elevado do Joá, foi tranquilo sem muito stress. A paisagem no final do túnel compensava qualquer esforço. O dia estava meio nublado mas mesmo assim estava lindo de se ver. Claro que lembrei da prova da Asics, afinal ali já era o final da prova. No outro túnel, encontrei uma balada! Luzes verdes e DJ deixaram o ambiente bem animado!

 

 Eu e a Pati na largada

 

Na reta de São Conrado, aproveitei para manter o ritmo e já sabia que a subida da Niemeyer estava chegando. Estava tensa pela subida, mas pensei “ah qualquer coisa, tiro o atraso na reta”. Alguns corredores já estavam optando em caminhar mas eu mantive o ritmo e fui, confesso que uma hora pensei “isso não acaba” mas ai fiquei concentrada e não parei de correr.  No km 7, abri e tomei o 1° gel e bebi um pouco de aguá.

 

Passei por Leblon e no KM 10, gritei “yes”, pois estava com meu tempo perfeito! DO jeito que eu queria, as vezes tinha a impressão que meu relógio estava errado, mas resolvi não encana com isso. No KM 12, eu senti um bolo na barriga, a vontade era de correr para o banheiro, mas eu estava tão bem que não queria parar, resolvi me concentrar e esperar a vontade passar e passou!

 

Em Ipanema foi muito legal, várias pessoas estavam assistindo a prova e motivando a galera. Lembro que vi um menino com um cartaz escrito “Vai Tia Neusa”, naquele momento, eu me senti a Tia Neusa rsrsrsrs...

 

Ás vezes eu esquecia de curtir um pouco o visual e quando lembrava reparava o quanto o Rio é Lindo!

No KM 17, antes do túnel, tinha mais uma galera gritando e torcendo. E ai cruzamos mais um túnel.

 

Chegando no Flamengo, eu lembrei do meu marido! Ele estava planejando sair de casa 8h30 e quando olhei já estava quase na reta final. Eu já sabia que ele não estaria ali mas mesmo assim fui observando para ver se não encontrava ele no meio do caminho.

 

Quando vi a placa dos 21km aparecendo, desejei um sprint final, e o relógio parou em 1h56h56s. SUCESSO!

 

 KM 20 - Foto Cadu Vigilia

 

 

Eu terminei a prova com uma dor na panturrilha direita mas nada insuportável. Aproveitei para resgatar minha mochila e comemorei com meu marido meu tempo. Afinal, não queria decepciona-lo. Rsrsrsrs

 

 Eu e Dominic ( marido )

 

 Eu e Pati na comemoração

 

 

Conforme combinado, ele foi andar de bicicleta e eu permaneci na corrida. Eu fiquei esperando o pessoal chegar e fiquei lá incentivando o pessoal e gritando igual uma louca!

 

Estava ali pela minha amiga Luna também, que estava completando a 1° Maratona. Aproveitei e gritei para vários amigos de SP que estavam ali também chegando felizes! Quando a Luna passou, foi uma alegria imensa, eu fiz um vídeo porque são emoções que não conseguimos explicar depois! Eu fiquei na tenda dela esperando para o abraço afinal. Eu conheci o pai da noiva, foi assim que conheci a Luna. 

 

 Eu e Luna

 

Foi uma confraternização muito boa e alegre! Pena que eu tinha que ir embora. Eu estava anestesiada ainda de alegria!

 

 Eu e o Pai da Noiva

 

O domingo foi uma delícia e no final do dia eu coloquei gelo na panturrilha para ajudar na recuperação e diminuir a dorzinha!

 

Resumindo, o final de semana foi maravilhoso e mais uma vez voltei com a sensação de felicidade, com gostinho de quero mais e com a certeza que eu posso conquistar tudo aquilo que desejo. Ah, dediquei essa prova para a Dani Nobile (@daniellenobile), pois ela comentou comigo que estava treinando para o seu sub2 nos 21km mas que o acidente impediu dela conquistar esse tempo.

 

Dani, novamente esse tempo é para você !!!! Obrigada pelas palavras e lição de vida!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload