Nathalia Soares | Todos direitos reservados © 2018 | Desenvolvido por A Entrega.

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

Se você quer acompanhar de perto todas as novidades, artigos e promoções do Blog, assine nossa Newsletter!

Insira um email válido

Meus 21.097 KM

17.04.2015

Golden Four Asics - Rio De Janeiro - 12 de Abril de 2015
 

Para quem já me conhece, sabe que tracei o objetivo de correr 21km, em outubro de 2014, quando assistia a Maratona de São Paulo.

 

Quando começou o ano de 2015, eu achei que julho estava muito longe mas mesmo assim comecei a treinar. Eu entrei no site da Asics e peguei uma planilha de treinos. Em paralelo comecei a fazer 2x na semana musculação mais focado no fortalecimento. Na mesma época, duas amigas (Vivi e Marcela) também estavam focadas nos treinos então comecei a conciliar os dias e horários para treinar com elas.

 

 

Em fevereiro, abriram as inscrições para os 21k da Golden Asics e então decidi seria a minha estreia. Eu escolhi correr no Rio de Janeiro, porque além de ser a cidade maravilhosa, sinto que lá as pessoas levam mais a sério esse assunto de esportes e vida saudável.

 

Foram quatro meses de treinos, tiros, longos e fortalecimento. Até que dia 11 de abril chegou cheio de expectativas. Eu cheguei no Rio de Janeiro e já fui direto para a Expo da Golden Four. Eu fiquei meio perdida porque eram tantas informações que eu não queria perder nada. Eu aproveitei e personalizei a camiseta com meu nome, registrei meu facebook para receber foto, tirei foto no painel, assinei meu nome, usei plaquinhas, assisti uma palestra que agregou bastante com a nutricionista Cristiane Perrone, da Gatorade e depois finalizei com uma massagem. No espaço tinha uma loja da Asics também mas resisti a várias tentações.

 

 

 

No sábado eu não fiz muitos esforços e fiquei mais tranquila. Eu aproveitei e fui conhecer o Jardim Botânico e a noite saímos para jantar. Eu caprichei no carboidrato. Como estávamos no Hotel Ibis da Barra, optamos em jantar no Bibi Sucos. Eu recebi muitas mensagens de boa sorte e palavras bonitas de motivação, isso também me ajudou na ansiedade pré prova. Eu revisei o percurso. Eu já estava com quase tudo separado para a prova e decidi usar todos os acessórios e vestuários que eu estava acostumada a utilizar durante os treinos e fui deitar quase 23horas.

 

No domingo o relógio despertou as 4h40, acordei no primeiro alerta. Logo levantei, me troquei e fui tomar café. Naquele momento, eu senti falta da minha batata doce mas não fiquei pensando muito nisso. Outros corredores da prova, já estavam no café mas preferi me concentrar e não conversar com ninguém. Sai do hotel 5h50 e foram 16 km até a largada 6h20. Encontrei com alguns colegas (Gisele do Divas, Alyne do ES, Sabrina, Rachel, Pedro) e aproveitei para fazer um alongamento. Antes eu fui atrás da minha amiga Luna que ia largar no pelotão das -7:00, encontrei com ela, dei um abraço bem forte e voltei para o meu grupo. As 7h00 deu a primeira largada para os corredores da Elite e pela primeira vez, a separação por pace e tempo estava dando certo. Achei demais.....Eu larguei as 7h10 no pelotão E ( quase o último – risos). Eu lembro que logo que começou a corrida, eu mentalizei apenas que tudo corresse bem nos próximos 21km. A largada foi no Recreio dos Bandeirantes e praticamente todo o circuito foi uma reta. No início do percurso ainda estava rolando uma ansiedade, mas foi passando. No primeiro posto de hidratação, eu peguei um copo de agua e tomei. No Km 7 decidi comer minha bananinha sem açúcar. No Km 14 eu tomei meu energy gel e com aguá. A maior parte da minha hidratação foi com Gatorade. Durante a prova, sempre no ponto de hidratação tinha água e os saquinhos com isotônicos. O que facilitou muito na hidratação.

 

 

O sol já estava raiando. Eu comecei a prova no meu ritmo de treino. Um detalhe dessa prova que achei TOP foram as placas de motivação, parece que as frases encaixam com o aquele momento certinho. Um que eu lembro “Na adversidade, uns desistem, enquanto outros batem recordes (Ayrton Senna).

No Km 10 até 12 eu tive uma redução de ritmo, estava pensando que teria uma subida e não podia me desgastar antes. No km 15, eu retomei meu ritmo e logo quando virei para o km 16, eu enxerguei o temido Elevado do Joá. Nesse momento, eu senti uma ansiedade e uma emoção ao mesmo tempo, parece até que meu coração deu uma apertada, eu tive vontade de chorar mas segurei e voltei a respirar normalmente. Eu estava conversando comigo mesma e não deixei a emoção atrapalhar.

 

Comecei a subida e fui vendo algumas pessoas parando, outras passando mal e outras caminhando. Eu apenas lembrei “continue correndo, pois você treinou para isso”. Comecei a repeti, “um, dois, um dois” e mantive o ritmo até o túnel. Quando atravessei o túnel, perdi o sinal do GPS e desencanei do Garmim. O momento mais top e esperado do percurso era a vista de São Conrado. Quando cheguei ali, meu ritmo aumentou e foi o momento que eu me emocionei porque eu presenciei dois resgates com ambulância. Dois corredores no chão recebendo atendimento médico. Nesse momento, agradeci muito a Deus pela minha saúde e por estar passando aquele momento. A vista do mar, o barulho das ondas, a respiração dos corredores, os pássaros, o pessoal chegando de asa delta, tudo isso fez minha emoção ir lá no topo e voltar.

 

Quando fiz a curva, faltava menos de 1km, eu já vi meu marido me esperando com a câmera, já fui levantado a mão para ele me ver, logo depois encontrei meu pai como celular na mão tirando várias fotos. Ainda deu tempo de gritar: “Pai, eu to chegando “! E ele respondeu: “Vai filha” Eu estava correndo com um copo de água e ia jogando para refrescar porque o calor estava de matar.

 

 

 

Quando faltavam menos de 100 metros, senti de novo a ansiedade e aquele aperto no coração e vontade de chorar e foi quando cruzei a linha de chegada. Na hora eu queria rir e chorar ao mesmo tempo. Estava "fora de mim". Não conseguia parar de correr e demorei uns 2 minutos para desacelerar. Eu fiquei feliz porque parei o relógio um pouco depois da linha e o tempo já tinha sido abaixo da minha meta. Eu fui seguindo para receber a toalha e a medalha de conclusão de prova. Encontrei com meu marido e meu pai. Minha mãe demorou para aparecer porque estava ainda na linha de chegada. (risos)

 

 

 

 

Depois da prova, aproveitei para tirar várias fotos e fui tomar um delicioso café da manhã no Zona Zen. Conversamos bastante e trocamos várias experiências.

 Encontro Café Zona Zen

 @lunaberbert

 @sylvinhapoz

 

O domingo foi maravilhoso e ainda curti uma praia. Cheguei a conclusão que escolhi a melhor prova para estrear e que os treinos foram fundamentais para o meu resultado. Agradeço minha paciência por esperar o momento certo para vencer seus limites. Acredito que seja um conjunto de coisas. É necessária uma boa alimentação, preparo físico e psicológico e o mais importante é fazer com coração e com determinação. Sou a favor de fazer as coisas que te dão prazer! Eu encontrei, a corrida. Me livrou de uma vez por todas do efeito sanfona e me dá prazer e vontade de sair correndo pelas ruas e parques da cidade. Deixo aqui meu muito obrigada para quem torceu e vibrou comigo essa conquista.

 

 

 

 

 

 

Please reload